quinta-feira, 10 de maio de 2018

Professores de Vargem Grande conseguem negociação para reajuste de salário após paralisação

Na manhã de hoje (10) os professores do município de Vargem após intensa luta conjunta com o  Sindicato de Servidores Públicos conseguiu fazer com que o prefeito Carlinhos Barros recuasse da ideia de não conceder o reajuste que a categoria estava cobrando. O prefeito também havia ingressado com ação na justiça alegando ilegalidade da greve em que o juiz arbitrou uma multa de 10.000,00 por dia de paralisação.

Com a negociação de hoje em que envolveu a CUT - Central Única dos Trabalhadores, a FETRAM - Federação dos Trabalhadores do Serviço Público Municipal do Maranhão e do SINDSERV - Sindicato de Vargem Grande, além de outros sindicatos que estavam dando apoio aos professores, o prefeito resolveu retirar a execução da multa, e concedeu 5% (cinco por cento) de ajuste sobre o salário dos professores e ainda em acordo firmado com os advogados da prefeitura, do sindicato, da FETRAM e o presidente do Sindicato em em que os 1,81% restantes devam ser incorporados até novembro deste ano ao vencimento. 

Para o presidente do Sindicato de Vargem Grande, José Carlos Rodrigues, "a paralisação e a união dos trabalhadores funcionaram como uma forma de dizer que o governo precisa ouvir os servidores e que os direitos conquistados não podem retroceder, pois o agente público é um servidor do povo e deve tão somente fazer a boa gestão dos recursos públicos" finalizou. 

José Carlos 
O presidente da FETRAM, Joenesson Santana acredita "que as reivindicações tem que acontecer toda vez que um agente pública tente não garantir o direito de um servidor público". 

O vereador Jociedson Aguiar que deu total apoio a categoria, ele que é ex presidente do Sindicato, disse que "nós não podemos retroceder, não podemos permitir que direitos sejam retirados, e não podemos de maneira alguma pensar que um gestor público seja maior que o bom senso, maior que o princípio da boa governança e que na qualidade de legislador temos que prezar pelo cumprimento do que determina a legislação atual" foi enfático. 









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colaboradores

Arquivo do blog