terça-feira, 23 de junho de 2020

Ex-prefeito Rocha Filho (PSDB) renunciou sua pré-candidatura e declarou apoio ao pré-candidato a prefeito de Água Doce do Maranhão Vereador Osvaldo (Republicano)




Ex-prefeito Rocha Filho (PSDB) declara apoio ao pré-candidato a prefeito de Água Doce do Maranhão Osvaldo (Republicano).

Reunião para oficializar o apoio do ex-prefeito ao pré-candidato Osvaldo aconteceu sábado /20/06/2020.

Segundo Rocha Filho, a decisão de apoiar o Pré-candidato a prefeito de Água Doce do Maranhão foi fundamentada em uma pesquisa que aponta uma possível vitorias caso os pré-candidatos que estão na oposição estejam numa mesma conjuntura, que estejam unidos.

Segundo ele, a pesquisa mostra  que juntos ultrapassam a adversária  ( atual prefeita daquele município Talita Dias) em intenção de votos chegando a somar 40 pontos. Foi fundamentado nestes números que ele decidiu declarar apoio ao Pré-candidato Osvaldo por na opinião dele ser o nome mais viável dos opositores a vencer a eleição majoritária deste ano de 2020.

Com a decisão o ex-prefeito Rocha Filho deixar de ser pré-candidato ao cargo de prefeito de Água Doce do Maranhão e oficializa seu total apoio ao pré-candidato Osvaldo, atual Vereador de Água Doce do Maranhão.

Veja o vídeo na íntegra. 





Maranhão tem 39 mortes por Covid-19 em 24 horas


Apenas três cidades do Estado não possuem casos confirmados do novo coronavírus

O Maranhão registrou 630 novos casos de Covid-19 nas últimas 24h e chegou a 70.689 casos confirmados, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgados na noite desta segunda-feira (22). O boletim epidemiológico diz ainda que o estado registrou 1.760 mortes pela doença e 47.776 pessoas estão curadas.
Nas últimas 24h foram confirmadas 39 mortes pela infecção causada pelo novo coronavírus e registradas também a recuperação de 840 pessoas.
Dos casos novos conformados, 25 foram na Ilha de São Luís (São Luís, Raposa, Paço do Lumiar e São José de Ribamar), 10 em Imperatriz e 595 nos outros municípios.
A SES confirmou 39 mortes pela doença, nas últimas 24h, em 22 municípios. As mortes foram confirmadas em: Cajapió, Igarapé do Meio, Centro do Guilherme Icatu, Pedreiras, Viana, Governador Edson Lobão, Amarante, Codó, Cachoeira Grande, Estreito, Penalva, Itapecuru-Mirim, São Bernardo, Coroatá, São João dos Patos (2), Coelho Neto (2), São José de Ribamar (2), Senador La Rocque (2), Grajaú (3), Barreirinhas (4) e São Luís (9).
Apenas três municípios maranhenses seguem sem nenhum registro de infecção pelo novo coronavírus. São eles: Loreto, Lagoa do Mato e São Félix de Balsas.
Fonte: Central de Noticias 

sexta-feira, 5 de junho de 2020

Vereadores fiscalizaram o Centro de Combate ao Coronavírus de Tutoia e identificaram irregularidades

DO BLOG DO ARISTON CALDAS




O Centro é de suma importância para o Município de Tutoia no que desrespeito o combate ao coronavírus. Centenas de pessoas já foram atendidas lá, porém inúmeras denúncias vem surgindo sobre o Centro-Covid-19.    

E diante delas. E de fatos levados por populares e profissionais da saúde ao conhecimento dos vereadores sobre o Centro de Combate ao Corona vírus de Tutoia que  três parlamentares decidiram apurar o que de fato estava acontecendo no referido Centro. E as fiscalizações existem com o intuito de melhorar e otimizar o serviço público.  

Dentre as denúncias estão: a não disponibilização de medicamentos, a falta de testes, equipamentos sem funcionar e banheiro sendo usado por contaminado e não contaminado.

E outras denúncias como estas duas:

ESTAS DENÚNCIAS FORAM ANEXADAS AO RELATÓRIO DA VISITA DE FISCALIZAÇÃO QUE FOI ENTREGUE AO MINISTÉRIO PÚBLICO

         
Foram esses fatos que fizeram com que os vereadores Raimundo da Silva Monteiro, Francisco Cardoso Rodrigues (Viriato) e o vereador Paulo Rogério do Vale a fiscalizar a aplicação dos recursos enviados para o município de Tutoia a fim de combater o covid-19.



A primeira intervenção oficial se deu através do ofício de nº 07/2020 do vereador Paulo Rogério do Vale Sousa em que solicitou à Secretaria de Saúde a documentação referente às ações de combate a covid-19 recebendo apenas o plano de ação sem notas de compras sob alegação por parte da Secretaria de Saúde que não seria possível realizar a prestação de contas solicitada pelo vereador, referente aos recursos financeiros, uma vez que os referidos recursos não foram totalmente executados.

A segunda ação foi uma consulta no Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde-CNES onde encontrou-se uma lista detalhada da equipe profissional bem como a listagem de leitos e equipamentos.

A terceira ação se deu de uma fiscalização direta no local por meio de uma entrevista onde foi reconhecido o seguinte:

Profissionais 28 Ok;

Leitos existentes 37 Ok;

Equipamentos (01) Raio-X sem funcionamento;

Desfibrilador (01) - Não tem;

Monitor ECG (01) -Tem  em funcionamento;

Monitor de pressão (01)- Tem  em funcionamento;

Reanimador Pulmonar/AMB (01)- Tem em funcionamento;

Respirador/Ventilador (02) – Existe apenas um e não funciona. De acordo com o plano de ação o valor para tal foi de R$ 49.500.00;

EPI (Equipamentos de proteção individual) não havia suficiente para atender a demanda, foi uma das razões que impossibilitou de os parlamentares de fazerem a fiscalização In loco;

Foi constatado que o banheiro atende os infectados e não infectados;

Ambulância com o para-brisa quebrado;

Segundo o relatório de fiscalização existem contradições nas informações acima, pois as informações fornecidas ao Governo Federal é que está tudo funcionando, mas há equipamentos que não existem no Centro Covid-19 como por exemplo o Desfibrilador e outros equipamentos. O documento mostra ainda que alguns equipamentos existem, mas sem funcionamento. 

Não foi permitida a entrada dos parlamentares nas dependências dos leitos sob alegação de ser área de contagio e de não poderem disponibilizar EPIs para eles fizessem a fiscalização.

Segundo os vereadores a fiscalização In loco é a maneira mais legítima para garantir a veracidade dos fatos, porém os parlamentares foram limitados em apenas entrevistar a senhora Mayara Emilia Nunes de Sousa Alves Diretora responsável pelo Hospital Campanha Centro de Referencias Municipal do Covid-19. 

"Tais informações estão no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES do Governo Federal, ou seja, estão repassando informações falsas para o Governo Federal ferindo a lisura e transparência das informações". Diz o relatório sobre a visitar de fiscalização ao Centro de Combate ao Coronavírus de Tutoia em 27/05/2020. 


Vale informa também que no dia  01/06/2020 houve uma reunião por vídeo conferência entre os vereadores Francisco Cardoso Rodrigues (viriato) e Paulo Rogério do Vale Sousa com o promotor de Justiça, Drª FERNANDO JOSÉ ALVES SILVA, onde o tema foi os problemas causados pela pandemia de COVID-19 e aplicação dos recursos no Hospital de Campanha de Tutoia-MA. Os vereadores informaram que encaminharão relatório acerca dos problemas detectados no hospital de campanha. E nesta presente data os relatórios contendo todas as informações e irregularidades já se encontram em posse do Ministério Público de Tutoia para as devidas providências. 















INFORMAÇÕES CONTIDA NO CNES

INFORMAÇÕES CONTIDA NO CNES





Resposta ao Oficio nº. 07/2020, do Gabinete do Vereador Paulo Rogério do Vale Sousa . 










ANEXO I - PLANO DE APLICAÇÃO FINANCEIRO-AÇÕES DE ENFRENTAMENTO AO COVID-19-Portaria MS Nº. 480, de 23 de Março de 2020 e Resolução CIB-MA Nº.02, de 25 de Março de 2020. 

  







ANEXO I I





INVENTÁRIO DE INSUMOS E EPEs



RELATÓRIO DESCRITIVO DAS AÇÃO DE SAÚDE NO COMBATE DO COVID – 19 NOVO CORONAVÍRUS EXECUTADAS PELA ATENÇÃO BÁSICA E VIGILÂNCIA EM SAÚDE NO MUNICÍPIO DE TUTOIA-MA.  













segunda-feira, 1 de junho de 2020

Trump promete acionar Forças Armadas para conter tumultos em protestos


O presidente Donald Trump com a boca meio aberta em pronunciamento na Casa BrancaDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionO presidente Donald Trump ameaçou usar Forças Armadas para conter protestos em pronunciamento na Casa Branca
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (1) que irá mobilizar todos os recursos — civis e militares — do governo federal para impedir tumultos, saques, vandalismo e a "destruição arbitrária de propriedades", em suas palavras, nas manifestações que já tomaram conta de pelo menos 30 cidades americanas desde a semana passada.
protestos foram motivados pela morte de um homem negro, George Floyd, sob custódia policial em Minneapolis no último dia 25. Em um vídeo, o ex-policial Derek Chauvin, branco e hoje detido, é visto pressionando com o joelho o pescoço de Floyd, que diz repetidamente não conseguir respirar.
Para Trump, que fez pronunciamento da Casa Branca nesta segunda-feira, "todos americanos ficaram enojados e revoltados, com razão, pela morte brutal de George Floyd", que "não terá morrido em vão". Mas a reação à morte teria sido tomada "por anarquistas profissionais, multidões violentas, incendiários, saqueadores, criminosos, grevistas, antifa e outros" (neste último caso, uma abreviação de "antifascistas").
Manifestantes com cartazes protestam em frente a grupo de policiais com armas e equipamentos anti-manifestaçãoDireito de imagemAFP/GETTY IMAGES
Image captionA morte de George Floyd motivou protestos de resistência contra a violência policial
"Estes não são atos de protesto pacífico. São atos de terrorismo doméstico", afirmou.
"Conforme estamos falando (no pronunciamento), estarei despachando milhares e milhares de soldados fortemente armados, forças militares e policiais para interromper tumultos, saques, vandalismo, assaltos e a destruição arbitrária de propriedades", acrescentou, destacando que violadores da lei seriam punidos severamente e com longas penas na cadeia.

Morte de George Floyd: Onda de protestos em massa desafia toques de recolher em dezenas de cidades nos EUA


Manifestantes protestam contra morte de homem negro em ação policialDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionTropas de choque estão usando gás lacrimogêneo e balas de borracha na tentativa de conter protestos, que escalaram para violência em alguns lugares
Toques de recolher foram ordenados em diversas cidades pelos EUA na tentativa de conter a revolta provocada pela morte de um homem negro sob custódia policial. As ordens, no entanto, foram desafiadas e, em alguns locais, houve lojas saqueadas, carros queimados e prédios atacados.
Tropas de choque estão usando gás lacrimogêneo e balas de borracha na tentativa de conter os protestos.
O presidente Donald Trump pediu "cura" pela morte de George Floyd, mas disse que não permitirá que as multidões dominem as ruas.
O acusado de assassinar Floyd, que tinha 46 anos, é um ex-policial branco de Minneapolis. Derek Chauvin, de 44 anos, deve comparecer a um tribunal na segunda-feira.
Em um vídeo, Chauvin pode ser visto pressionando o pescoço de Floyd com o joelho por vários minutos. Floyd diz repetidamente que não consegue respirar.
Reportagem da BBC 

Colaboradores

Arquivo do blog