segunda-feira, 1 de junho de 2020

Trump promete acionar Forças Armadas para conter tumultos em protestos


O presidente Donald Trump com a boca meio aberta em pronunciamento na Casa BrancaDireito de imagemGETTY IMAGES
Image captionO presidente Donald Trump ameaçou usar Forças Armadas para conter protestos em pronunciamento na Casa Branca
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (1) que irá mobilizar todos os recursos — civis e militares — do governo federal para impedir tumultos, saques, vandalismo e a "destruição arbitrária de propriedades", em suas palavras, nas manifestações que já tomaram conta de pelo menos 30 cidades americanas desde a semana passada.
protestos foram motivados pela morte de um homem negro, George Floyd, sob custódia policial em Minneapolis no último dia 25. Em um vídeo, o ex-policial Derek Chauvin, branco e hoje detido, é visto pressionando com o joelho o pescoço de Floyd, que diz repetidamente não conseguir respirar.
Para Trump, que fez pronunciamento da Casa Branca nesta segunda-feira, "todos americanos ficaram enojados e revoltados, com razão, pela morte brutal de George Floyd", que "não terá morrido em vão". Mas a reação à morte teria sido tomada "por anarquistas profissionais, multidões violentas, incendiários, saqueadores, criminosos, grevistas, antifa e outros" (neste último caso, uma abreviação de "antifascistas").
Manifestantes com cartazes protestam em frente a grupo de policiais com armas e equipamentos anti-manifestaçãoDireito de imagemAFP/GETTY IMAGES
Image captionA morte de George Floyd motivou protestos de resistência contra a violência policial
"Estes não são atos de protesto pacífico. São atos de terrorismo doméstico", afirmou.
"Conforme estamos falando (no pronunciamento), estarei despachando milhares e milhares de soldados fortemente armados, forças militares e policiais para interromper tumultos, saques, vandalismo, assaltos e a destruição arbitrária de propriedades", acrescentou, destacando que violadores da lei seriam punidos severamente e com longas penas na cadeia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colaboradores

Arquivo do blog