sábado, 23 de abril de 2011

Semana Santa (que reflexão deveremos ter sobre esse período do ano?)

Pensei em muitas maneiras de iniciar esse post.


Então, pensei o que é realmente a Semana Santa, além, de uma data guardada por alguns cristãos? Poderíamos percebê-la como um momento de reflexão sobre o Amor de Cristo ou o Amor de Deus para com os homens.

Assim, resolvi citar um fragmento de um livro que por acaso li esta semana (Ainda Existe Esperança: a solução para os problemas da vida. CHAIJ, Enrique. Trad. Fernanda Caroline de Andrade Sousa. Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira, 2010).

Inicialmente quero enfatizar que independentemente de qual seja nossa religião, credo, situação social etc, seria interessante refletir.

O que seria a Semana Santa senão um momento de reflexão sobre a vida, nossas ações, sobre o Amor Divino. “Amor multidimensional” poderíamos assim defini-lo.

Uma passagem da Bíblia em Corintios 1: 13 bem diz “1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. 2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.”.

E o livro elenca 33 adjetivos que podem descrever esse amor. Um amor indescritível, assim, o AMOR é:



1. Inefável: Um amor que não se pode descrever nem explicar com palavras.

2. Sublime: De máxima dimensão moral e espiritual.

3. Maravilhoso: Extraordinário, admirável, assombroso.

4. Inesgotável: Tão abundante e profundo que não se pode extinguir.

5. Terno: Suave, doce, refinado.

6. Imutável: É impossível mudá-lo ou diminuí-lo.

7. Infinito: Sua dimensão não tem fim, porque procede de Deus.

8. Eterno: Imperecível. Sempre igual no tempo.

9. Excelso: Não poderia ser mais igual no tempo.

10. Imparcial: Um amor que se manifesta todos, de idêntica maneira, e que assegura a redenção de todos.

11. Imaculada: Puro, sem mancha de imperfeição.

12. Compassivo: Sensível à nossa dor e às nossas necessidades.

13. Protetor: Defende-nos contra todo dano e agressão.

14. Bondoso: Cheio de bondade e consideração, generoso e desprendido.

15. Compreensivo: Um amor que nos compreende e simpatiza conosco.

16. Perdoador: Reconciliador. Apaga e esquece nossos pecados.

17. Inquebrantável: Nada nem ninguém o pode quebrar ou destruir.

18. Transformador: Transforma a vida de quem o obriga em seu coração.

19. Acessível: Não está vedado pra ninguém; está ao alcance de todos.

20. Amistoso: Bom, solidário e cordial, porque provém do nosso amigo Jesus.

21. Delicado: Um amor que combate a rispidez e semeia a delicadeza.

22. Triunfante: Na luta da vida nos faz vencedores.

23. Ativo: É muito mais que uma atitude de Deus; é Sua obra salvadora e contínua em nosso favor.

24. Poderoso: Este amor dá força à alma e nos outorga o poder de Deus.

25. Criativo: Não cessa de nos brindar com novas formas de bênçãos.

26. Imerecido: É uma graça generosa de Deus; não um merecimento humano.

27. Paciente: Um amor que suporta e espera até o fim.

28. Convincente: Mais forte que qualquer argumento; mais persuasivo que qualquer eloquência.

29. Consolador: É bálsamo para o doente e ânimo para a pessoa abatida.

30. Confiável: Um amor seguro, que não trai; sempre está disponível. Sua lealdade não tem limite.

31. Purificador: Tira a impureza do coração; limpa a mente de todo mal.

32. Redentor: Graças a esse amor divino, está assegurada nossa eterna salvação.

33. Fragrante: Quando o amor divino controla o coração, exala o aroma da bondade e da presença de Deus na vida.

Um comentário:

  1. Como Cristã Católica, sem medo de assumir isso, num tempo em que religiões brigam entre si, eu vivo não só a Semana Santa, mas toda a Quaresma, não só como tradição de comer peixe e ovos de Páscoa ou de ações mecânicas. Para mim, são 40 dias de meditação, penitência, oração e perdão como forma de me aproximar e entender ainda mais do amor de Deus por nós que imolou seu único Filho para a remissão de nossas culpas.

    ResponderExcluir

Colaboradores

Arquivo do blog