segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Outro jeito de ver o carnaval - Professora Gabrielle


Ensaiando o carnaval

Já houve épocas em que eu me deixava levar pelo batuque de carnaval e a estas alturas, estava mais que ansiosa pela festa que se aproximava. Já havia comprado xortes, blusinhas coloridas, biquínis novos, enfeites e todo badulaque característico do carnaval. Era um tempo em que eu não tinha tanta responsabilidade, era adolescente e tudo era festa.

Passou. Graças a Deus, passou! Faço parte do grupo de ETs brasileiros que descobriram que o mundo não acaba na quarta-feira de cinzas - principalmente neste ano de 2012!

Outro dia, presenciei uma pessoa, dessas comuns, sendo convocada para fazer um trabalhinho extra no carnaval, para aumentar a renda. Não sei por que me surpreendi, quando ela desabafou: "- Eu não! Vou é aproveitar o carnaval, que a vida é curta!" Afinal o senso comum grita todo dia esta regrinha básica!

É... nestas épocas de folia,  aproveitar a vida é se consumir em drogas (principalmente álcool), sexo promíscuo, noites em claro, numa atmosfera de falsa alegria cuja existência só se sustenta pela ansiedade de como será o próximo dia de farra  para contar vantagem!


"Marrô vantagem!!" - como se diz em bom tutoiês!


Não me sinto à vontade em estimular o gosto pelo carnaval às crianças e adolescentes que me cercam. Se o carnaval foi uma festa popular inocente, isso ficou no passado, lá no pretérito-mais-que-perfeito. Duas imagens são marcantes nos carnavais atuais: uma com mulheres semi-nuas, cercadas por homens "famintos", empunhando garrafas de cerveja, num cenário paradisíaco; outra imagem é a de multidões bêbadas, se beijando, se amassando, "pegando tudo"  e sendo assaltadas atrás de um trio elétrico, cujos cantores e dançarinos não menos ensandecidos, entoam monossílabos em duplo sentido! [Não me sinto na responsabilidade de ensinar que o carnaval é cultura brasileira, tal e tal, quando a ideia que se tem é a de "pirar" em quatro dias. A ingenuidade que um dia possa ter existido, já era! Fica para os pais, ensinarem o que quer que seja sobre o carnaval.

Divirto-me é com a cara feia de desaprovação quando falo que prefiro aproveitar estes dias para descansar, pôr meus trabalhos em ordem, assistir a um  filme, ler algumas coisas. Como se eu estivesse desperdiçando tempo! 

Sendo uma ETzinha das comemorações da massa, descobri que aproveitar a vida é fazer o que eu gosto, é fazer o que me deixa bem, revigorada, tranquila e não, sair às ruas com meio mundo de gente enlouquecida, que no dia seguinte está no mínimo desmemoriada e improdutiva! E eu não gosto de carnaval, portanto não me sinto obrigada e fingir que me divirto, só para me sentir incluída na tal sociedade. Eca!


Na quinta-feira, tenho compromissos a executar e preciso estar bem, muito bem, melhor do que hoje! 

Bom carnaval! Até para quem não gosta!


*Reservo-me o direito de não colocar em aspas as ironias.

Um comentário:

  1. rsrs! Eu abri teu blog, curiosa, para ver o que tu dizias!! kkkk eu vi o que eu disse! kkkkkk

    ResponderExcluir

Colaboradores

Arquivo do blog