segunda-feira, 22 de julho de 2013

Brutalidade e frieza: Mãe confessa ter matado criança de um ano em Rio Largo, diz polícia


Segundo o delegado, adolescente disse que matou filha a pedradas.
Menina foi encontrada morta na manhã de segunda-feira (15).

Carolina SanchesDo G1 AL
29 comentários
Criança de um ano e seis meses foi morta com uma pancada na cabeça (Foto: Fabiana de Mutiis/G1)Criança de um ano e seis meses foi morta com uma
pancada na cabeça (Foto: Fabiana de Mutiis/G1)
O caso da criança de 1 ano e 6 meses, que foi encontrada morta na manhã de segunda-feira (15), no município de Rio Largo, região Metropolitana de Maceió, teve uma reviravolta na madrugada desta terça. A primeira versão apresentada pela família à polícia é que a criança teria sido sequestrada e morta na noite de domingo (14). No entanto, segundo a polícia, a mãe da menina, uma adolescente de 17 anos, confessou o assassinato da filha em depoimento na Delegacia de Homicídios.
O corpo da menina, que morava com a família na cidade de Rio Largo, foi encontrado na lateral de uma ponte que dá acesso a saída da cidade. Na ocasião, mãe da criança disse que dois homens a abordaram e levaram a pequena Karina Danielly Gouveia.
De acordo com o delegado Antônio Edson Sousa, em depoimento, a adolescente mudou a versão e confessou o assassinato da criança. Ela teria dito que sua vida mudou depois que a filha nasceu e que a menina se tornou um problema em sua vida. “A mãe contou que levou a criança para a Ladeira da Cachoeira, desferiu três golpes na cabeça dela com uma pedra e abandonou o corpo no local”, contou o delegado.
  •  
"Em 15 anos de polícia, nunca vi nada do tipo", afirmou o delegado Antônio Edson. (Foto: Carolina Sanches/G1)'Em 15 anos de polícia, nunca vi nada do tipo',
afirmou o delegado Antônio Edson.
(Foto: Carolina Sanches/G1)
No primeiro relato, algumas horas depois que o corpo foi encontrado, a adolescente disse aos policiais que caminhava com a criança pelo centro da cidade por volta das 22h quando dois homens encapuzados, que estavam em um carro, a abordaram e arrancaram a menina dos braços dela.
Frieza
Em entrevista coletiva na manhã desta terça-feira (16), o delegado Antônio Edson afirmou que o crime teve características de frieza. "A mãe da criança não demonstrou arrependimento em nenhum momento. Em 15 anos de polícia, nunca vi nada do tipo", disse.
Sousa destacou que a criança não era registrada pelo pai. "Nós já identificamos o pai da criança e achamos que é importante ouví-lo também".
O crime causou grande repercussão na cidade de cerca de 70 mil habitantes. De acordo com o conselheiro tutelar da região de Rio Largo, Marcos Casteli, a adolescente era uma pessoa tranquila. "O que vem causando mais revolta na população, inclusive, era que ela trabalhava no transporte escolar de crianças em Rio Largo", afirmou.
As informações preliminares da polícia apontaram que a menina recebeu uma pancada na nuca. Segundo alguns parentes da mãe da vítima, ela estava indo para a casa da avó da menina.

Ela passou o dia na sede do Conselho Tutelar do município e foi levada para a Delegacia de Homicídios à noite. Na madrugada desta terça, a adolescente teria confessado o crime. Segundo o delegado, o caso será encaminhado para a promotoria da cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colaboradores

Arquivo do blog