quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

"Lambanças de toda a sorte" no concurso de Tutóia

Sessão da Câmara de Tutóia nesta quarta (03)

A frase do título desta postagem foi dita, em plenário, pelo vereador Zé Orlando ao apontar quatro grosseiros erros, segundo ele, do novo projeto que cria cargos para o já desacreditado e improvável concurso público de Tutóia. Digo improvável, pelo fato de todos os projetos, inclusive o atual, estarem eivados "de vícios, eivado de erros, (...) [se] aprovado desse jeito [errado] vai parar na justiça" e, possivelmente, será anulado, é o que se percebe nos comentários desse vereador.

Fazer concurso por fazer não é a lógica da Lei. Essa lógica deveria ser a de garantir que pessoas idôneas e capazes assumam cargos e com compromisso convertam isso em favor do povo, afirma um vereador.

Ainda para Zé Orlando "esse projeto vai para as mãos de vocês [vereadores] ardendo em brasas da ilegalidade". E o titular do blog arriscaria a dizer que esse projeto do Concurso é igual a olho verde em gente feia, não serve pra nada.

"Projeto feito a facão" não garante as vagas necessárias e ainda vem carregado de erros para que esbarre na justiça e não aconteça, e dessa forma, garante ao prefeito Diringa que mantenha no cabresto eleitoreiro um monte de pais e mães de famílias que ficam, por exemplo, sem salário de dezembro, 1/3 de férias, décimo terceiro salário no final do ano para garantir um presentinho de natal pro seu filho entre outras privações do que seria um direito.

O projeto que revoga a Lei 200 de 2014 (Lei aprovada em junho para realização do concurso público, que nem foi divulgada se teria se tornado Lei) adia o sonho de quem pode assumir uma vaga com todos os direitos garantidos e saia de debaixo da saia do governo.

O projeto se reporta a Lei 020 de 1998 (Plano de Cargos do Magistério) e essa já está defasada desde 2010 (prazo limite estabelecido pela Lei Federal para sua atualização) e, portanto, se for realizado o concurso deixa em situação difícil os professores de Tutóia quanto a definição da carga horária e do piso salarial nacional (o que foi ferido na proposta quando apresenta vagas para Pedagogos e outros com salários abaixo do Piso Nacional, algo em torno de R$ 1.200,00).


Confira algumas pérolas ditas na sessão de hoje:

"Se essa lei vem pra prejudicar, que prejudique da maneira correta"  - E quer dizer que existe maneira correta de prejudicar é?

"Vá à justiça. Essa Casa é livre. A rua tá limpa. E as portas do Fórum está aberta".   Os erros aqui vão desde a concordância, quanto à limpeza da rua em Tutóia, é, no mínimo, uma figura de linguagem, uma ironia.

Não está esclarecido o que é obstrução: "O Regimento Interno é omisso". Será que é só o Regimento Interno que é omisso naquela Casa?

OBS: "Projeto feito a facão" foi dito pelo vereador Zé Orlando.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colaboradores

Arquivo do blog