domingo, 22 de novembro de 2015

A Rede Buriti realizou no último dia 21, o Colóquio de Questões Ambientais: Rio Bom Gosto

A REDE BURITI realizou no último dia 21, o Colóquio de Questões Ambientais: Rio Bom Gosto, no Polo Darcy Ribeiro/UEMA. Com o objetivo de discutir as problemáticas do Rio Bom Gosto e buscar alternativas para a recuperação, preservação e conservação desse frágil ambiente natural.



O colóquio contou a presença de estudantes, jovens do Grupo JUF (Jovens Unidos Franciscanos), professores, representantes de associações comunitárias, técnicos agrícolas e moradores do Bom Gosto.

O evento foi composto por duas palestras. A primeira palestra foi conduzida por Paulo Sousa (Geógrafo/Analista Ambiental, Superintende de Monitoramento e Condicionantes), que veio representando a Srª. Liene Pereira, Secretária Adjunta de Desenvolvimento Sustentável da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais. Na sua exposição, foi abordado sobre as ações para a sustentabilidade da Bacia Hidrográfica do Rio Bom Gosto e região, em situação de vulnerabilidade ambiental, por meio de ações de prevenção, recuperação, conservação e preservação, foram contemplados ainda nessa oportunidade, informações acerca dos problemas comuns às bacias hidrográficas: monitoramento ambiental insuficiente, manejo inadequado do solo, redução da biodiversidade, desmatamento, queimadas, erosão, assoreamente e  construções irregulares nas margens de rio (casos mais comuns encontradas nas margens do Rio Bom Gosto).

Foram expostas imagens da delimitação da Bacia Hidrográfica do Rio Bom Gosto, foram também acrescentado no evento informações sobre o CAR (Cadastro Ambiental Rural), Lei Nº 12.654 de 25 de maio de 2012 - novo Código Florestal, que criou o CAR, que é um registro eletrônico, obrigatório para todos os imóveis rurais, que tem por finalidade integrar informações ambientais referentes à situação das Áreas de Preservação Permanentes-APPs, das Áreas de Reserva Legal-ARL, das florestas e dos remanescentes de vegetação nativa, das Áreas de Uso Restrito-AUR e das áreas consolidadas das propriedades e posses rurais do país. Com isso, todos os proprietários de sítios, devem fazer o CAR e as associações dos povoados onde ficam na bacia hidrográfica do Bom Gosto devem também fazer o devido cadastro. Paulo finalizou sua fala, apontando medidas e ações para  a bacia hidrográfica do Rio Bom Gosto: Educação Ambiental, monitoramento hidrológico, projeto orla e cadastro ambiental rural.

A segunda palestra, intitulada: “Recuperação de matas ciliares através de Sistemas Agroflorestais (SAFs)”. Foi proferida pelo Eng. Agrônomo e Mestre  em Agroecologia, Marcela Zalarayán, Consultor Ambiental da ONG Associação Educação e Meio Ambiente (EMA).

O palestrante iniciou com algumas fotos de rios, com destaque para o Rio Doce (MG), que foi atingido pelo rompimento de barragem da mineradora Samarco, em Mariana (MG), fotos de rios que estão sofrendo, seja por fatores naturais ou por ações antrópicas de forma aceleradas.

Marcelo Zelarayán, mostou alternativas de como restaurar rios: parar de poluir, não fazer queimadas e mudar o sistema de roça, pensar numa agricultura diferente, que são os Sistemas Agroflorestais (SAFs) para a conservação do solo.

O que são Sistemas Agroflorestais (SAFs)? São formas de uso/manejo da terra que combina espécies árboreas/frutíferas ou madeireiras com cultivos agrícolas/animais de forma simultânea ou numa sequencia temporal. Esse sistema pode ser utilizado como agente de recuperação da mata ciliar (sem retirada da madeira). Ele finaliza mostrando algumas alternativas para recuperar o Rio Bom Gosto: caracterizar a área, fazer a marcação dos prontos mais sensíveis (desmatamento, retirada de areia, pastos, queimadas), cercar a área problemática, conhecer as espécies, produção de mudas, coleta de sementes e a implantação urgente de agroflorestais.


Após as exposições, foram feitas algumas intervenções pelo público presente, onde foram demonstradas várias preocupações acerca dos problemas no/do rio Bom Gosto, foi muito proveitoso o momento dos debates. Com essas contribuições, entre palestrantes e público presentes, o colóquio contribuiu sobremaneira, para que sejam realizadas através da REDE BURITI articuladas com outros órgãos, ações ampliadas de forma contínua e ostensiva.







Paulo Sousa (Geógrafo/Analista Ambiental, Superintende de Monitoramento e Condicionantes)









U

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Colaboradores

Arquivo do blog